Exibindo

Notícias

Riverdale: Sinopse, Still e Promo legendada do episódio 4×04 – ‘Chapter Sixty-One: Halloween’

Publicado por camila

HALLOWEEN EM RIVERDALE — Quando gravações anônimas começam a aparecer em Riverdale, um medo se alastra rapidamente para a cidade, No colégio Stonewall, Jughead aprende sobre uma série de misteriosos desaparecimentos que a escola ocultou. Enquanto isso, o plano de Archie é criar um espaço seguras para as crianças da cidade. Em outros lugar, Veronica fica cara a cara com um problema, enquanto o passado de Betty volta para assustar. Por último, uma busca com as residentes da Thistlehouse Cheryl e Toni pelo seu testemunho.

O episódio 4×04 – ‘Chapter Sixty-One: Halloween’ irá ao ar no dia 30 de Outubro.

MPBR0001~92.jpg MPBR0002~83.jpg MPBR0001~92.jpg MPBR0002~83.jpg

RIVERDALE (2017-) > QUARTA TEMPORADA > STILLS > 4X04 – CHAPTER SIXTY-ONE: HALLOWEEN

Erin Feeley dirigiu o episódio, escrito por Janine Salinas Schoenberg.

Madelaine Petsch revela como Riverdale mudou seu estilo

Publicado por camila

Ela chegou 45 minutos atrasada ao estúdio de fotografia da Cosmo do Brooklyn, pedindo mil desculpas: “Estar atrasada é minha coisa menos favorita no mundo. Eu odeio me atrasar mais do que eu odeio confundir meias, o que eu faço muito.”. Para ser justo, não foi totalmente culpa. Seu motorista do dia confundiu a Avenida Vandervoort por Avenida Vanderbilt e honestamente, trânsito de sábado é péssimo.

Você quase poderia confundir essa versão da Madelaine com o ícone que ela interpreta em Riverdale, tirando que o atraso de Cheryl Blossom seria de propósito. Isso e o fato que Madelaine não está vestindo a cor de Cheryl, vermelho.

Ela nem gosta tanto de vermelho assim, ela nunca havia pensado que ela vestiria tanto carmesim. “Mas os figurinistas estavam tipo, ‘Você sabe que vermelho é uma grande característica da Cheryl?’” Madelaine diz. “Então eu fiquei, ‘Uh, eu amo vermelho! É a minha cor favorita!’”

Aconteceu que, Cheryl tem inspirado muito na mudança do real armário de Madelaine. “Ela me ensinou tanto sobre moda,” ela diz. “Tudo se baseia em se divertir e arriscar.” Há alguns anos, ela não seria vista usando o casaco amarelo neon que ela usou para esse ensaio fotográfico. “Eu aceito isso como um desafio. Eu aceito isso. Sim, eu vou vestir aquela jaqueta amarela, f*da-se.”

Cheryl esteja trocando com Madelaine, de 25 anos, outras coisas também. Enquanto a personagem—a qual, vale lembrar, é uma arqueira, lésbica e está escondendo o corpo do irmão morto no porão—organiza festas de aniversário e chama por atenção, Madelaine é acostumada a observar de longe. Isso está mudando aos poucos. “Eu nunca tinha ido a um evento sozinha, então eu pensei que era bom tentar e isso seria no Met Gala.” Corajosa, sim, mas também aos pouquinhos: Ela ficou próxima da sua mesa e de seus colegas de elenco, depois ficou na festa pós evento por, mais ou menos, 20 minutos.

O que ela está descobrindo- mesmo que ela insistiu muitas vezes que não deveria confundir-lá com a personagem- que as partes que os telespectadores amam em Cheryl Blossom são as mesmas que são marcadas em Madelaine. O mais importante, ambas são lutadoras. Para Cheryl, significa superar o drama da sua família insana e o ensino médio. Para Madelaine, é superar a timidez por trás das câmeras e estar preparada para tudo que a vida e que sua carreira a proporcionarem.

Por enquanto, Madelaine ainda fica nervosa antes de filmar —mas ela, na verdade, gosta dessa maneira. “Você pode sentir quando me assiste, o nervosismo, a paixão. Eu nunca quero perder isso. Basicamente, traga todo o vermelho estiloso e tudo mais. Ela está pronta.”

Confira as fotos em nossa galeria:

MPBR0001~91.jpg MPBR0004~64.jpg MPBR0007~57.jpg MPBR0006~57.jpg

 PORTRAITS E ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PORTRAITS AND PHOTOSHOOTS > 2019 > COSMOPOLITAN MAGAZINE

 

Fonte: Cosmopolitan

Tradução e Adaptação por: Madelaine Petsch Brasil

Riverdale: Sinopse, Still e Promo legendada do episódio 4×02 – ‘Chapter Fifty-Nine: Fast Times at Riverdale High’

Publicado por camila

PRIMEIRO DIA DO ÚLTIMO ANOArchie encoraja Mad Dog a ir para Riverdale High e entrar no time de futebol. Jughead conhece Mr. Chipping, quem o oferece uma vaga em uma escola de elite, a Stonewall Prep. Veronica entra em conflito quando informações sobre seu envolvimento na prisão de Hiram vem à tona. Kevin se candidata paga uma vaga no Blue & Gold para amenizar as coisas com Betty. E Cheryl entra em confronto com o novo diretor do colégio, Mr. Honey.

O episódio 4×02 – ‘Chapter Fifty-Nine: Fast Times at Riverdale High’ irá ao ar no dia 16 de Outubro.

MPBR0001~90.jpg MPBR0001~90.jpg MPBR0001~90.jpg MPBR0001~90.jpg

 RIVERDALE (2017-) > QUARTA TEMPORADA > STILLS > 4X02 – CHAPTER FIFTY-NINE: FAST TIMES AT RIVERDALE HIGH

Riverdale: O que acontecerá com a Cheryl na 4 temporada?

Publicado por camila

Cheryl Blossom (Madelaine Petsch) é inequivocamente a melhor personagem de Riverdale, mas no final dos dramas da última temporada, ela fez uma escolha muito bizarra. Ela decidiu guardar o corpo de seu irmão, Jason Blossom (Trevor Stines), em seu porão. Uma decisão estranha (amenizando as palavras) para uma personagem que mostrou uma tremenda evolução durante as temporadas, mas baseado em alguns teasers da próxima temporada, parece que a temporada 4 será ainda mais estranha.

Se caso o primeiro parágrafo não tenha feito nenhum sentido para você, primeiro, bem-vindo a Riverdale. Segundo, aqui está um resumo que talvez te clareie um pouco. O enredo da série era a morte de Jason, um mistério que quebrou sua irmã gêmea Cheryl e toda a cidade de Riverdale. No final da primeira temporada, descobrimos a resposta de quem havia matado Jason Blossom: seu pai, Clifford Blossom (Barclay Hope). A revelação causou o suicídio Clifford e levou Cheryl a incendiar sua própria casa. Sabe, coisas normais.

As coisas pioraram para Cheryl na segunda temporada, já que ela foi deixada sozinha nos restos de uma mansão com uma mãe maníaca/prostituta Penelope (Nathalie Boltt) e com sua avó, Nana Rose (Barbara Wallace). Por último, ela chegou ao seu extremo quando conheceu Toni Topaz (Vanessa Morgan), quem a ajudou a descobrir sua homossexualidade.

Toni a libertou e durante a metade da próxima temporada, a alma gêmea de Cheryl ajudou-a se curar, mostrando que nem sempre o amor precisa vir acompanhado da dor e se tornar uma apaixonante líder e uma amiga fiel… e então entra A Fazenda, um culto que rouba órgãos, que usa drogas para que seus integrantes vejam os familiares que já partiram. Para Cheryl, significou que o cadáver preservado de seu irmão, era ele de volta e vivo.

Se baseando nos teasers da quarta temporada, sim, Cheryl ainda está com Toni, uma notícia maravilhosa para os fãs do revolucionário casal LGBTQ+. E se você pensou que isso deixaria a Blossom em uma linha reta, mas como é comum em Riverdale, parece que elas estão indo em múltiplas direções ao mesmo tempo.

A primeira pista que o enredo do “Corpo de Jason” não será descartado tão cedo, veio através do Instagram do Roberto Aguirre-Sacasa em 10 de Setembro, onde ele postou uma versão photoshopada do pôster do filme Hereditário, com Cheryl um boneco estranho e uma bolinha de pingue-pongue.

 

Ver essa foto no Instagram

 

This season on #Riverdale. Horror is where the home is. 🕷☠️🔥👠🧠💋👀🏃🏻‍♂️👛🕸🌪🍷🎢📹🕰📺

Uma publicação compartilhada por Roberto Aguirre-Sacasa (@writerras) em

Depois foi revelado que “Hereditário” será o nome do sexto episódio dessa temporada, então isso é uma razão para que Aguirre-Sacasa tenha postado isso enquanto eles estavam o filmando. Uma piscada e você perdeu o momento dos stories da Madelaine Petsch onde mostra um membro da equipe andando pelo set com o fantoche de marinheiro.

Para aqueles que não assistiram ao filme de terror, existem, de fato, alguma boneca estranhas. Existe também um enredo maior sobre a família lidando com a morte da avó, levando aos fãs especularem que talvez a personagem que irá morrer no episódio de Halloween será Nana Rose.

Aguirre-Sacasa ainda postou outra foto promocional, escrita:

 

Ver essa foto no Instagram

 

The Chimera is coming. #Riverdale 408. Filming this week. 👠💎🔥☠️🍷⭐️

Uma publicação compartilhada por Roberto Aguirre-Sacasa (@writerras) em


“A Quimera está a caminho” #Riverdale 408. Filmando essa semana”.  A foto incluía uma roupa de marinheiro similar à do fantoche de “Hereditário” (o episódio, não o filme) junto da definição da palavra “Quimera”: “Um organismo unicelular composto de células de dois ou mais indivíduos- ou seja, contém dois conjuntos de DNA devido a uma fusão placentária em desenvolvimento.” Eu irei acrescentar que a palavra quimera carrega outro significados. Na mitologia grega, quimera é uma mistura de um mostro com a cabeça de um leão, corpo de uma cabra e rabo de uma cobra. Essa versão cospe fogo. Quimera pode ser também usado para descrever algo impossível.

Então eu repito: o que acontecerá com Cheryl Blossom na temporada 4 de Riverdale? Se colocarmos algumas pistas juntas, parece claramente que a quarta temporada de Riverdale está lidando com os terrores da família Blossom.

No final da temporada 3, enquanto Cheryl estava escondendo o corpo de Jason, sua mãe Penelope foi revelado como a chefe por trás de muitos enredos sombrios de Riverdale. Ela estava influenciando o assassino em série, Capuz Preto (Lochlyn Munro), controlando Chic (Hart Denton), e sempre esteve no comando em um dos maus mais antigos da cidade, o Rei Gárgula.

Minha melhor aposta é que Cheryl terá muitas dificuldades em lidar com o corpo de Jason. E se Jason não for apenas um boneco terapia e sim um participante ativo esse ano? Uma ideia pode ser enquanto ela está tentando se livrar da dependência do corpo, ela substitui por um estranho fantoche de marinheiro. E quando isso não funciona, ou ela se questiona sobre guardar o seu irmão morto no porão, ou ela adota a personalidade do fantoche/Jason, uma vez que existe o teaser da quimera. Existe outra possibilidade, é claro, e é algo que está ligado a revelação de Penelope no “Clube da Meia Noite”. E se Jason e Cheryl não são gêmeos? Ou se algum deles- ou ambos- forem parte de um bizarro experimento genético da família Blossom?

Linha do tempo nunca foi o forte de Riverdale, mas teve uma cena que parecia que Jason era mais velho que Cheryl. A produção declarou o erro e disse que os fãs não deveriam se preocupar. Mas e se Jason for realmente mais velho que Cheryl? Isso significaria que um deles foi adotado? Nos quadrinhos, existe um segredo, um trigêmeo Blossom. Isso está vindo para série?

E tem uma questão maior sobre o que isso significa para saúde mental de Cheryl. Fãs se preocupam (com razão) com Cheryl, quem já teve que lidar com perdas, tentativa de suicídio e uma terapia de conversão. Para Cheryl, como uma personagem LGBTQ+, muitos fãs procuram por representatividade positiva, durante as três temporadas, a jornada de Cheryl na autoaceitação. É importante lembrar que Petsch é extremamente cuidadosa sobre o que a história de Cheryl significa para ela e para os fãs. Ela é uma protetora da Cheryl e é envolvida com os fãs. Se eles fossem para uma direção que iria contra uma representatividade positiva, com certeza Petsch tomaria a frente e -o histórico mostra que – Aguirre-Sacasa e companhia ouviriam.

E confiem, não importa o quão complicada as coisas fiquem para Cheryl, Toni sempre estará ao seu lado para salvá-la.

Fonte: Decider

Tradução e Adaptação por: Madelaine Petsch Brasil

Riverdale: Sinopse, Stills e Promo legendada do episódio 4×01 – ‘Chapter Fifty-Eight: In Memoriam’

Publicado por camila

UM ADEUS A FRED ANDREWS — Enquanto os habitantes de Riverdale se preparam para sua iminente parada do Dia da Independência, Archie recebe um telefonema que irá mudar o resto de sua vida para sempre.

O episódio 4×01 – ‘Chapter Fifty-Eight: In Memoriam’ irá ao ar no dia 09 de Outubro.

MPBR0001~89.jpg MPBR0002~81.jpg MPBR0001~89.jpg MPBR0002~81.jpg

RIVERDALE (2017-) > QUARTA TEMPORADA > STILLS > 4X01 – CHAPTER FIFTY-EIGHT: IN MEMORIAM

Madelaine Petsch concede entrevista a Seventeen Magazine

Publicado por camila

Madelaine Petsch sendo a realeza de “Riverdale” e se redefinindo na vida real. Se Cheryl Blossom de Riverdale foi salva como “chefe das v*dias” em seu celular, a atriz que a interpreta provavelmente teria o nome “melhor amiga”.

A atriz de 25 anos está dando vida a icônica ruiva, por 3 temporadas (a quarta temporada estreia dia 9 de outubro). Mas qualquer similaridade entre Petsch e Cherry Bombshell começa e termina com aquelas mechas ruivas.

Para qualquer um que a conheça bem, Petsch é mais parecida com aquele sorriso grande e brilhoso, do que o profundo de Cheryl. E Cheryl talvez seja a valentona que todos amam amar, Petsch preferiria brincar consigo mesma em seu canal no YouTube do que incomodar alguém.
Esse é o motivo de Petsch ter ficado surpresa, ao primeiro contato, pelos fãs terem depositado o desgosto pela Cheryl na atriz. “Quando eu sofri cyberbulling depois do Teen Choice Awards de 2017, após a primeira temporada de Riverdale, eu fiquei muito triste,” ela diz. “Eu pensei, ‘Por que as pessoas me odeiam? Eu não entendo, eu estou apenas interpretando uma personagem’”

Aliás, ela tem interpretado praticamente sua vida toda. Antes mesmo das crianças andarem, Petsch já atuava, dançava e cantava. “Eu sou uma das únicas pessoas que, com 6 anos, eu sabia exatamente o que eu queria fazer. Meus pais me apoiavam muito e eu amava estar no palco e dar vida aos personagens.”

A paixão de Petsch pela atuação floresceu na adolescência e então ela se deparou com uma grande decisão: ficar em sua cidade natal Port Orchard, em Washington, ou seguir seus sonhos ate Los Angeles. Sua decisão foi muito difícil.

Ela tinha estrelas nos olhos, sem dúvidas, mas a mudança deu grande abertura ao bullying que ela recebeu no ensino médio.

“Eu cresci em uma cidade pequena. E muitas pessoas faziam brincadeiras comigo por ser ruiva, por meus pais serem da África do Sul, não ser criada em um religião, não comer carne. Eu tinha tudo contra mim, todas as coisas que me faziam única eram as coisas que as pessoas iriam levar.” Em particular, Petsch experimentou o cyber bullying. “Eu me lembro que alguém fez uma pagina horrível no Facebook e no MySpace sobre mim e minha melhor amiga. Ouvir o que as outras pessoas dizem nas redes sociais dificulta argumentar contra.” Mas Petsch deixou sua dor de lado quando ela seguiu para Hollywood. Trabalhando em 3 empregos para pagar o aluguel, Petsch descreve sua vida na época como “a vida típica de ator”. Ela era barista, recepcionista e assistente pessoal, focando todo seu tempo livre em vídeos de audição. Uma hora, ela considerou pintar seu cabelo de castanho na esperanças que ajudaria ela arranjar mais papéis. “Minha mãe estava tipo ‘Por favor, não faça isso,”

Finalmente, ela recebeu um telefonema do diretor de elenco de Riverdale, David Rappaport. Quatro meses depois, ela recebeu a ligação que ela tinha conseguido o papel. “Eu comecei a chorar e gritar, então meu chefe chegou. Eu estava tipo ‘Eu consegui o papel! Eu me demito!” E com isso, Petsch se mudou para Vancouver para começar a filmar a primeira temporada de Riverdale em setembro de 2016.

O começa das filmagens, Petsch e o resto do elenco não tinham ideia que a série se tornaria um fenômeno. “Nós dizíamos ‘Ninguém nunca vai assistir nossa série.’” Obviamente, pessoas assistiram a série, MUITAS pessoas. De repente, Petsch se viu envolvida na fama. Toda a atenção, mesmo sendo tão recompensadora, também trouxe-a ansiedade social. “Na verdade, eu acho que vai piorando enquanto eu vou ficando mais velha, algo que eu estou trabalhando sobre. Eu tenho uma ótima terapeuta em Vancouver.” E se as cosias ficam mais intensas, ela tem a sua mãe para uma ligação rápida. “Quando eu estou tendo um ataque de pânico, ela me ajudou a passar por isso mesmo que seja 3:00 da manhã.”

Com o sucesso da série, Petsch teve que lidar novamente com os haters online, especialmente aqueles que a confundiam com a personagem. Em 2017, ela começou um canal no YouTube, para mostrar aos fãs quem ela realmente é. No começo, ela planejava postar 5 ou 6 vídeos, mas 2 anos depois você pode encontrar vlogs novos todas as quartas-feiras. “Eu quero que as pessoas conheçam a Madelaine. Eu quero que eles saibam que eu sou estranha e engraçada, que eu amo as pessoas. Se eles ainda tiverem suposições ruins, aí é com eles.”

Com os passar dos anos, ela também se permitiu aprender um pouco com sua personagem em Riverdale. Como alguém que sempre teve uma relação de amor e ódio com o cabelo vermelho, interpretar a icônica ruiva encorajou-a a abraçar seu cabelo natural. “Eu acho que a Cheryl me ajudou a amar meu cabelo ruivo. Finalmente, meu cabelo e eu temos uma ótima relação. E quando os fãs me contam que estão sofrendo bullying, eu os lembro que aquelas coisas por quais eles estão sofrendo, são as coisas que os tornam únicos. Quando você ficar mais velhos, essas coisas farão você se destacar.”

Explorando todos os lados da Cheryl nas primeiras temporadas, ajudou Petsch a entender melhor o bullying que ela sofreu quando era mais nova. “Eu tenho aprendido muito sobre a mente das pessoas que fizeram bullying comigo por causa da Cheryl na série. Eu aprendi que a maioria das pessoas que fizeram as brincadeiras comigo, estavam passando por suas próprias m*rdas. E elas estavam descontando em outras pessoas. E isso quebra o meu coração.”

A temporada quatro tem muita história da Cheryl já que ela se reuni novamente com Betty, Jughead, Veronica, Archie e os outros no colégio. Juntas, Cheryl e Toni (ou Choni, como os amados fãs as chamam) aparentam levar passo a passo seus desafios. E se a química entre as duas aparenta ser real, é porque é – elas são amigas há anos, após se conhecerem nos testes de Riverdale.

Segundo Petsch, os fãs reagem a essa conexão. “Fazer parte de um ship como Choni, é incrivelmente importante como me faz sentir. Eu conheço tantos fãs que dizem que eles sentiam coragem de se assumir para sua família e amigos por causa da minha personagem.”

As fãs de Choni ficarão felizes em ouvir que o casal está caminhando forte na nova temporada e Petsch promete que essa temporada será mais parecida com a primeira. Enquanto ela começa com um “mistério incrível”, como Petsch chama, tem um grande foco nas relações das personagens do que nas últimas temporadas.

Para Petsch, essa é uma mudança boa. “Eu já posso nos sentir voltando para a vibe da primeira temporada, tendo cenas todos juntos. Nós realmente nos amamos e nos damos super bem.

Uma coisa que faz falta em Riverdale, é não ter a presença de Luke Perry, que faleceu de um acidente vascular cerebral em fevereiro de 2019, com 52 anos. Enquanto a quarta temporada terá um tributo especial ao ator, Petsch diz que não existem palavras para descrever essa perda. “Luke era meu oráculo por toda parte de Riverdale. Ele esteve em 90210 e tinha feito todo seu trabalho, então qualquer hora que eu tivesse dúvidas, ele abria sua porta para mim. Ele era uma alma tão boa e amável, ele era tão generoso. Ele era o tipo de ator que te da tudo de si quando trabalha com você.”

Petsch está ainda processando sua perda e se vê sentindo falta de Perry em momentos grandes e pequenos. Ela se lembra de um momento que ele a ajudou passar por comentários negativos na média sobre uma roupa que ela usou em um tapete vermelho e quando ele conversava com ela se ela desse uma entrevista quando não estava muito bem. “O mais difícil para mim era que em toda Comic Con, Luke me ligava de manhã e dizia: ‘eu tenho uma espinha, preciso que você cubra isso’. E ele vinha ao meu quarto e me fazia cobrir a sua espinha. Está última Comic Con foi realmente difícil porque eu não recebi meu telefonema.”

Petsch também diz que Perry a ensinou tantas lições que ela carregará no futuro. “Eu aprendi com Luke a ser uma luz para as pessoas porque você nunca sabe quando alguém precisa, assim como eu precisei.”

Petsch traz otimismo para tudo que ela realiza hoje em dia, incluindo explorar novas oportunidades. Ela recentemente terminou as gravações de um filme, Sightless, onde ela interpreta uma mulher (“não uma adolescente!” ela comemora) que perdeu a visão e é forçada a se ajustar ao seu novo e perigoso ambiente. Petsch também admite que ela amaria interpretar a vilão da DC, Hera Venosa, ao lado da Mulher Gato de Ruby Rose.

Outra paixão de Petsch: sua linha de óculos de sol, M3, com a Privé Revaux, sua segunda vez colaborando com a marca. Petsch desenhou todas as armações. “Eu sou muito ligada a acessórios. Jóias, sapatos, bolsas… os trabalhos. Eu amaria um dia entrar nas parte de roupas.”

Com a calmaria nas filmagens, Petsch ainda está procurando tirar mais tempo para arte. “Existem fases na minha que eu passarei 3 semanas pirando e então desenharei por 1 mês. Eu estou voltando para o piano esses dias.”

Outra coisa que ela está tentando: ligar o f*da-se, algo que ela também diz que não conseguiria ser a ajudinha das colegas de elenco de Riverdale. ”Quando eu me mudei pela primeiro vez para LA, eu pensava que deveria sempre estar maquiada e perfeita, caso eu esbarrasse com um direito de elenco em alguma loja. Agora, eu sou cercada de mulheres tão empoderadas. Nós lembramos uma às outras a sermos divertidas e abraçarmos quem somos. Eu não sinto mais nenhuma pressão em ser perfeita nas redes sociais. Eu estou mostrando a verdadeira eu o tempo todo. Eu estou apenas sendo eu.”

Confira as fotos do photoshoot para a Seventeen Magazine em nossa galeria:

MPBR0001~88.jpg MPBR0003~72.jpg MPBR0001~88.jpgMPBR0003~72.jpg

PORTRAITS E ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PORTRAITS AND PHOTOSHOOTS > 2019 > SEVENTEEN MAGAZINE

MPBR0002~80.jpg MPBR0002~80.jpg MPBR0002~80.jpg MPBR0002~80.jpg

 REVISTAS E JORNAIS – SCANS > 2019 > SEVENTEEN MAGAZINE – OCTOBER

 

Fonte: Seventeen Magazine

Tradução e Adaptação: Madelaine Petsch Brasil

Madelaine Petsch concede entrevista a InStyle

Publicado por camila

Quando uma celebridade sai com uma roupa que amamos, é muito comum que o seu custo seja mais alto do que podemos bancar. Quem pensaria que aquela simples blusa poderia ser tão cara, ou aquele par de botas custaria dois salários? Isso é mais uma razão para amar Madelaine Petsch de Riverdale, quem recentemente se tornou parceira da marca de roupas Shein, posando para sua campanha de outono e arrasando com o excelente preço. Não é apenas sobre tudo da loja ser fofo e na moda, ainda é favorável para a carteira.

“Fazer algo assim foi divertido,” Petsch contou a InStyle quando nos encontramos em seu pop-up com a Shein em Nova York. “Eu não desenhei nada dessa coleção de outono, mas eu separei minhas peças favoritas dela. Eu gosto das cores divertidas e tudo é tão facilmente permutável. A qualidade é ótima também.”

A atriz continuou contando-nos como ela vem comprando na Shein bem antes da sua fama, ainda revelou que peca ela roubaria do closet da sua colega de elenco Camila Mendes, o que ela aprendeu enquanto ela limpava seus chakras e o que podemos esperar da quarta temporada de Riverdale.

Você era uma fã da Shein antes de fazer essa parceria?

Antes de eu entrar em Riverdale, eu instalei o aplicativo porque todos estavam tipo “Tem essa marca e tudo é tão louco e acessível, você deveria ver isso.” Naquela época, eu estava tipo, economizando, então eu era uma fã. Eu acho que a coisa boa de uma marca como a Shein é que, se você gosta de estar “na moda”- eu ponho isso em aspas porque o que está na moda depende de você- mas, se você gosta de sempre estar inovando seu guarda-roupa, essa é uma grande empresa para fazer isso porque está sempre na moda, é fácil e acessível.

A questão de preço é realmente importante para você?

Sim. Tem algo bom em misturar modelos acessíveis. Eu nunca foi uma pessoa que veste o mesmo modelo da cabeça aos pés. A) o custo não vale a pena e B) eu sou bem indecisa com as minhas roupas e eu mudo muito a minha cabeça. Então gastar muito dinheiro com roupa o tempo todo é uma dor de cabeça.

Qual a sua cor favorita de vestir?

Algumas vão achar isso meio suspeito… eu tive meus chakras limpos outro dia- o que é bizarro. Eu tento fazer coisas divertidas como isso, onde eu me sinto dando uma hora do meu dia para mim. Eu estava usando rosa vivo aquele dia e a moça que estava os limpando disse “Por que você escolheu rosa vivo?” e eu estava tipo “Eu não sei, eu só estava com vontade.” Então ela “Você sabia que a roupa que você escolher as vezes tem efeito na energia do chakra que você precisa limpar.” O meu chacra principal realmente precisava de purificação e eu estava usando rosa.
Eu gosto de todos das cores. Talvez eu seja mais atraída por cores vivas, porque ela disse que a vida é mais feliz e positiva para mim agora. Mas quando você não esta passando por um momento bom, é quando você é mais atraída por preto e cores opacas. Eu não sei até que ponto isso é verdade, mas eu acho isso interessante.

O que sua personagem de Riverdale, Cheryl Blossom, compraria na Shein?

Nossa, qualquer coisa vermelha. Você irá perceber uma coisa: não tem vermelho na minha coleção de outono. Eu visto isso diariamente. Estão nos meus pés no momento, sempre está em algum lugar em mim. Então, eu diria que provavelmente algo vermelho.

Você tem um ícone de estilo?

Eu tenho vários. Eu acho que a Emma Roberts tem o melhor estilo, ela consegue isso. E obviamente, Zendaya- ela é fantástica. Eu nunca a vi mal, nem assim, 10% mal. O que é isso? O que você está bebendo? Posso pegar um pouco? A fonte da juventude? O estilo dela é sensacional.

Você divide roupas com seus colegas de elenco?

Cami [Mendes] e eu trocamos muito as roupas. Se nós vamos sair, ela vem até mim e me ajuda a escolher uma roupa e eu também até a sua casa e a ajudo a escolher. Ela demora um pouco mais, ela é mais pessoa mais luxuosa para se arrumar. Se nós estamos tipo “Okay, 2:00” então 2:30 é normalmente quando ela aparece. Eu me arrumo e então eu me sento e assisto ela a fazer sua maquiagem. É algo que fazemos- é fofo. Ela tem um gosto tão forte e eu realmente gosto disso.

Você tem uma peça favorita que você roubou dela?

Eu não roubei mas ela tem um suéter muito fofo da Valentino. É azul com bordado brando e foi seu suéter favorito ano passado. Ela vestia isso o tempo todo. Eu queria pegar tanto para mim. Eu fui até a loja e o vi, mas eu não peguei porque eu pensei “Ela tem ele, não posso fazer isso, é o suéter favorito dela.” Você não pode comprar o suéter favorito da sua melhor amiga. Isso é confusão. Seria algo tipo “Okay, eu realmente estou roubando sua coisa favorita.” Mas eu posso pegar emprestado.

Qual o item que você não consegue parar de comprar?

Eu tenho milhões de diferentes cardigans no momento. Eu não estou brincando. E suéteres. Eu também tenho milhares de jeans de cintura alta e botas de salto baixo. E no final, óculos de sol. É assim que eu me visto, se eu quero usar a mesmo roupa todos os dias, mas eu tenho diferentes óculos de sol, de alguma maneira isso funciona bem.

Você se fantasia para o Halloween, e se sim, o que você será esse ano?

Sim, às vezes. Ano passado eu planejei mas não fiz nada porque estava cansada. Eu não sei o que farei esse ano. Uma das minhas ideias malucas e engraçadas é que minha melhor amiga é obcecada por Steve Jobs, então ela poderia ser o Steve Jobs e eu poderia ser uma maçã.

Você pode descrever a nova temporada de Riverdale em uma ou duas sentenças?

Honestamente, é mais parecida com a primeira temporada do que qualquer coisa. Voltou para os relacionamentos, o que eu acho que as pessoas amam e sentiram falta.

 

Fonte: InStyle

Tradução e Adaptação: Madelaine Petsch Brasil

Madelaine Petsch concede entrevista a Nylon Magazine

Publicado por camila

Binários parecem algo distintamente arcaicos nos dias de hoje, meios mal equipados de categorizar—muito menos entender—nosso mndo e as pessoas dentro dele. Mas, eu não deixaria isso me impedir de perguntar a Madelaine Petsch algo bem importante: Ela se vê mais como uma membra de culto ou como uma líder de culto?

“Membra de culto, com certeza.” Petsch me contou, sem hesitar.

“Não porque eu sou uma ovelha,” ela contou. “Eu não sou uma manada. Porém, eu não acho que tenho a personalidade carismática para fazer às pessoas me seguirem.”

Petsch me contou isso perto do fim de um longo dia juntos. Estávamos sentados em um sofá no fundo do estúdio fotográfico aonde a imagem dessa história tinha sido capturada; o estilista estava arrumando os cabides de roupas em tons de pedras preciosas; outra pessoa estava re-empacotando par depois de par de saltos altíssimos; outras pessoas estavam correndo ao redor, limpando mesas, enrolando cenários, tirando maquiagem e acessórios de cabelo brilhantes.

Nos sentamos longe da ação, mas nunca esteve incerto aonde o centro da gravidade estava; nem nunca esteve incerto quem era a estrela na sala.

Eu passei tempo o suficiente falando com Petsch para reconhecer que ela não estava sendo puramente auto-depreciativa, e estava, na verdade, sendo sincera quando ela disse que não achava que tinha o que era necessário para coagir pessoas a segui-la. Mas eu também tive que apenas olhar ao nosso redor para ser lembrada de quem na sala era a líder natural, e poderia facilmente amontoar legiões de seguidores. E, não é só que Petsch poderia amontoar legiões de seguidores, é mais que ela já tem: A partir deste escrito, Petsch já tem 16 milhões de seguidores no Instagram, assim como 4,6 milhões de inscritos em seu canal do YouTube, o qual se chama Madelaine Petsch.

Esses seguidores, ao menos uma parte, vem como cortesia do que Petsch é mais conhecida por: seu papel como Cheryl Blossom na extremamente popular série Riverdale. Cheryl não é exatamente a estrela da série; pelo contrário, Riverdale tem um par de estrelas binárias ao centro: Archie e Veronica, Betty e Jughead. E ainda assim, Cheryl parece que é o centro da série; ela que dá a série seu calor. E isso se dá em grande parte pela vívida interpretação da personagem de Petsch, a qual sua vida possa estar cheia de voltas e reviravoltas caricaturais, mas cuja credibilidade como uma pessoa real se mantém intacta graças ao claro comprometimento de Petsch ao papel.

“Eu diria que Cheryl é uma das minhas amigas”, Petsch me disse, explicando como ela aborda esse papel- e todos os outros. “É realmente incrível ser capaz de retratar outro ser humano dessa maneira-mesmo não sendo alguém real.”

A colega de cena, Camila Mendes, conversou comigo sobre o que faz a atuação de Petsch tão especial. Ela disse “Você não pode ser ‘meia boca’ para interpretar um personagem como a Cheryl e uma das inúmeras qualidades sobre a Madelaine representar a Cheryl, é que ela é dedicada. Ela desfruta dos abusos da personagem e nunca se esconde da qualidade.” E Mendes termina, “Então ela entrega esses momentos únicos de vulnerabilidade, o que torna a personagem muito mais complexa. Isso faz com que ela seja a favorita dos fãs. Seu trabalho é inesquecível.”

Outra razão para Petsch ser tão amada é a relação homoafetiva entre Cheryl e Toni Topaz (interpretada por Vanessa Morgan), o qual apenas não ganhou somente um enorme grupo de fãs mas Choni deixou claro o poder de Petsch na sua profissão, tendo habilidade para mudar vidas.

“A resposta que eu tenho das pessoas, me dizendo que a minha arte os permitiu que se assumissem para seus pais, ou os confortando tendo pais que não os aceitam,” Petsch disse “a parte mais gratificante de interpretar a Cheryl… muitas pessoas dizem sobre suas sexualidade por conta da minha personagem na série. Eu provavelmente nunca irei superar isso.”

É uma responsabilidade que Petsch leva muito a sério, mesmo Choni sendo uma casal da ficção, Petsch sabe que a relação entre Cheryl e Toni inspira inúmeros jovens, e ela ainda evitou brincar uma rodada de “Beijar, Casar, Matar” com as personagens Toni, Betty e Veronica, para que os fãs não se chateassem com suas escolhas.

Isso talvez soa como um exagero- alias, BCM é apenas um jogo e essas personagens não são reais. Ninguém nunca pensaria que Petsch realmente mataria alguém, certo? Bom, errado. Por causa de Riverdale, fãs são realmente devotos e essa foi a maior inspiração para que ela criasse seu canal no YouTube, mostrando para o mundo que Madelaine Petsch não era Cheryl Blossom e que Cheryl Blossom não era Madelaine Petsch.

E o canal de Petsch nasceu sendo diversos vídeos para que seus seguidores vissem o quão diferente ela era da manipuladora Cheryl, mas se tornou algo natural. Com Petsch descobrindo sua afinidade, não apenas se comunicando com a audiência mas também na filmagem e edição entre os vídeos.

Enquanto Petsch dizia o que Riverdale vem proporcionando para ela- “Eu não acho que tenha um dia no set que eu me sinto trabalhando… É como um parquinho criativo cheio de pessoas apaixonadas por aquilo que fazem. Isso é muito legal”– ela ainda diz que se ela não fosse atriz, ela amaria trabalhar como editora, por causa da diversão que ela tem editando seus vídeo que ela posta toda quarta-feira em seu canal.
E claro, não apenas vídeos que ela está construindo com suas edições, mas também uma Madelaine Petsch– ou melhor, a personagem Madelaine Petsch, a qual é e não é a mesma coisa que a real Madelaine Petsch.

“Eu fico tipo, ‘Quem é a Madelaine?” Petsch me disse após eu perguntar o que ela gosta de compartilhar com o público. Petsch explicou que tem certas coisas que ela nunca revela: “Minha casa. Muitas pessoas ficam tipo ‘Eu quero um tour pela sua casa,’ e eu fico tipo ‘Esse é o meu porto seguro’- especialmente minhas casas em Vancouver e em Los Angeles.” Ela continuou listando que é muito privado para compartilhar: “Minhas amizades… minha família. Você nunca verá meus pais ou meu irmão no meu canal no YouTube.”

E Petsch diz, que existem coisas que foram uma vez mas que não são mais confortáveis para se compartilhar: “Meu namoro (com o músico Travis Mills). Eu costumava a compartilhar muito sobre isso, mas agora não, pessoas assumem que não estamos mais juntos. Mas na realidade, eu percebi que é mais especial e seguro se eu não compartilhar muito.”

Invés de vinhetas da sua vida, seu canal no YouTube é popular por vídeos engraçados e interessantes. Pelo design, eles oferecem a ilusão de intimidade, com nenhuma vulnerabilidade. “O que eu amo no Youtube é que eu tenho o controle criativo. Eu não preciso necessariamente me proteger, é por isso que eu tenho total controle das histórias que me rodeiam.”

Mas dizer que o controle de Petsch sobre suas histórias é evidente, seria errado dizer que não é também revelador, porque histórias são facilmente contadas via omissão. E por necessidade, Petsch omite muito. Durante todo o dia que passamos juntos, incluindo o tempo que passamos nesta entrevista, Petsch era filmada por sua amiga, Taylor, para que ela tivesse um material para um por trás das câmeras para seu canal no YouTube.

Tem coisas que ela tira da lista para seu canal: sua família, suas amizades, sua casa e seu namoro. Então, o que sobra para incluir em seus vídeos? Basicamente, Petsch em si. Mas em suas próprias palavras: “Quem é Madelaine?”

Ouvir Petsch falar sobre todas as diversas coisas que ela precisa ser cautelosa, me fez imaginar o quão exaustivo deve ser sempre ser questionado sobre o que você faz ou diz, para que suas ações e palavras não sejam má compreendidas. Eu a perguntei se esse tipo de consciência nunca pareceu como um fardo, sempre se politizando para não dizer algo errado.
Mas a resposta de Petsch foi rápida. “Eu preferiria estar em um lugar onde teríamos que ser conscientes socialmente do que um lugar totalmente livre onde não haveria consequência para algo que inflija fisicamente, emocionalmente ou verbalmente nos outros.”

“Como o movimento #MeToo, eu tenho certeza que assusta muitos homens agora e que eles provavelmente são mais cautelosos no que fazem,” Petsch diz. “Mas na realidade, eles deveriam. Eu me sinto muito envolvida com isso. Quando isso apareceu, eu vi muitos homens tweetando ‘Oh Deus, agora teremos que ser cuidadosos,’ ou sei lá. E é honestamente como você, você deveria ser sempre cuidadoso.”

“Eu estou feliz em estar em um lugar que somos conscientes do que fazemos, somos mais cuidadosos, pois devemos ser mais respeitosos com os outros… Eu estou realmente muito orgulhosa e honrada de ser parte dessa geração que as pessoas estão deixando os outros fora de suas merdas.” Ela pausou e continuou: “Eu não sei se estou autorizada para xingar mas tanto faz.”

O começo do movimento #MeToo foi um momento fundamental para Petsch. Foi no final de 2017 e Riverdale tinha começado sua segunda temporada, ela estava em um novo lugar para sua visibilidade pública e faria total sentido se ela não entrasse nessa conversa. Mas não foi isso que Petsch fez. Ao contrário, com um Tweet, ela expressou sua solidariedade com aquelas que sofreram a experiência de violência sexual.

“Eu acompanhei o movimento #MeToo. Eu acho o que as pessoas não entendem é que esse movimento não está relacionado apenas a indústria e sim, qualquer agressão física. Esse movimento foi grande e incrível para o empoderamento feminino para se erguerem e ficarem tipo ‘Isso aconteceu comigo também.’ Isso junta todo esse grupo de mulher de diversas partes do mundo em uma linda forma. Digo, é triste que isso acontece mas ao mesmo tempo, o fato de podermos possuir isso é enorme.”

Pode ser difícil perceber que os limites da vida pessoal não esbarram nas coisas que consideramos privado. Isso também é um motivo para que Petsch alerta sobre ir a terapia, e como ajudou ela superar a ansiedade social e os ataques de pânico.

“Eu não sabia como isso era, mas eu tinha ataques de pânico horríveis bem antes de entrar em Riverdale. Então, eu comecei a ter ansiedade, e eu só consegui entender essas coisas e trabalhar nisso com terapia. Eu não estou dizendo que trabalhei tudo que precisava mas apenas ser capaz de entender e identificar é o primeiro passo. Eu só podia ter feito isso com terapia. Então eu entendo que talvez as pessoas pensam que há um tipo de estigma em volta da terapia, mas tipo, converse com a sua mãe, com seus amigos.”

“Saúde mental é muito importante para mim, e eu estou tão feliz em ser parte de um grupo de mulheres com o cast de Riverdale que falam tão abertamente sobre isso. Se eu estou tendo um dia ruim e eu sinto que minha ansiedade está no local, eu ligarei para Camila Mendes e eu vou para sua casa, vamos comer algo e conversar sobre todos os meus problemas até que isso tudo saia.”

Com uma comunidade que consiste em um grande número de fãs, a mensagem que Petsch e seus colegas de trabalho tentam passar é: lembrar que você não está sozinho, lembrar que ninguém é perfeito e você não precisa ser também.

Essa ultima parte é algo que Petsch relutou por um tempo, ela disse, até que ela apareceu com o fato que arte- e vida- são em si, confusas. “Eu não acho que perfeccionismo e artes podem estar na mesma sentença, mas eu não estava consciente isso quando comecei… não necessariamente com Cheryl, mas mais com Madelaine como pessoa- tipo, minha vida tem que ser perfeita. Mas eu percebi que não tem vida perfeita. Minha vida certamente está longe disso. Não existe isso de arte perfeita e artista perfeito.”

Talvez seja engraçado pensar que quanto mais distante Petsch fica de tentar obter essa perfeição como artista, mais ela controla a imagem de, essencialmente perfeita, Madelaine Petsch, em particular. É como aquelas dúvidas binárias que demanda uma escolha- ser isso ou aquilo, ser a personagem ou a pessoa, líder ou seguidor, mas nunca os dois.  Mas o que Petsch tem mostrado é que aquelas antigas dúvidas são inadequadas para entender as coisas como elas estão agora, e isso engloba particularmente a concepção do que é público e do que é privado.

Então sim, pode ser um pouco estranho que Petsch pode mostrar perfeitamente a transição entre ser ela e ser Madelaine Petsch, o que torna libertador, um modo de conhecimento que é verdade apenas por um lado.

Petsch sabe perfeitamente como ela vai continuar usando sua voz em serviço daquelas histórias que ainda são indeterminadas. Mas que será dela- e pessoas escutarão as diversas coisas que Madelaine tem para dizer.

 

Fonte: Nylon Magazine

Tradução e Adaptação: Madelaine Petsch Brasil

 

Madelaine revela aonde ela acha que o relacionamento de Cheryl e Toni estará daqui a cinco anos!

Publicado por annacst

A atriz de Riverdale de 24 anos foi ao YouTube responder algumas das perguntas mais urgentes de seus fãs em um vídeo postado na Quarta-feira (19 de Junho).

A primeira pergunta de fã que Madelaine recebeu foi sobre Riverdale – especificamente, o que a atriz acha do que será o relacionamento de Cheryl e Toni em cinco anos.

“Temos apenas 17 anos na série no momento, então em 5 anos teríamos 22…” ela disse antes de ser (temporariamente) interrompida por um cachorro latindo. “Eu definitivamente não acho que elas estariam noivas ainda. Eu acho que elas continuariam indo devagar, aproveitando seu tempo juntas e provavelmente vivendo juntas – esperançosamente, distante de Riverdale, então ninguém mais morreria.

Assista o resto do Q&A mais recente de Madelaine:

Veja as co-estrelas de Riverdale, Madelaine Petsch e Camila Mendes, roubarem a cena na Semana da Moda, aqui!

 

Fonte: Just Jared Jr.

Tradução e Adaptação: Madelaine Petsch Brasil

Madelaine Petsch e Camila Mendes fazem encontro duplo com seus namorados

Publicado por camila

As co-estrelas de Riverdale, Madelaine Petsch e Camila Mendes, forjaram um vínculo na tela e fora dela. Aliás, como Petsch disse à Us Weekly, as duas agora são “double daters oficialmente”.

Petsch, de 24 anos, está namorando o rapper Travis Mills, e Mendes, também de 24 anos, está namorando a co-estrela de Riverdale Charles Melton, e o grupo de quatro saiu para jantar no mês passado.

“Nós fomos ao [restaurante de frutos do mar] Catch, que não é algo que normalmente fazemos”, disse Petsch à Us. “Eu não amo, mas precisávamos de um lugar para comer rapidamente. Nós estávamos todos em um evento juntos. Nós estávamos tipo “Onde podemos obter uma mesa rápido? Vamos para o Catch. ’… Eu acho que estava de tênis e jeans, e todo mundo estava de vestidos apertados. Eu estava tipo “Oh, olá”.
Petsch e Mills se conheceram no Facebook depois que o rapaz de 30 anos entrou em contato com ela para parabenizá-la pelo sucesso da série da CW. E a atriz – que atualmente está promovendo sua nova linha de óculos de sol Privé Revaux – não é tímida sobre seu amor nas mídias sociais.
“Sou uma grande defensora de mostrar meu relacionamento online porque o amor existe sim, e eu acho que é tão importante que a nossa geração saiba que o amor vai vencer”, disse Petsch à Glamour em março de 2018. “Não importa quem você ama, o que você ama, ele vai vencer.”

Fonte: Us Weekly

Tradução e Adaptação: Madelaine Petsch Brasil